Inovação e segurança de dados andam juntas

Por Bruno Barreto, CEO da Dr. TIS.

A crescente digitalização dos serviços de saúde, expressa, entre outros fenômenos, pela adoção do Registro Eletrônico de Saúde (RES), pela informatização de bancos de dados e procedimentos do Sistema Único de Saúde (SUS) e o compartilhamento de informações nas esferas federal, estadual e municipal e entre entes públicos e privados, não são novidade.

A pandemia representou, entretanto, um grande e imprevisto impulso para essas tendências. Uma das consequências desse quadro foi o aumento da preocupação com a segurança dos dados de pacientes, empresas, instituições e órgãos públicos.

Estudos apresentados no 12º Fórum de Saúde Digital, em 2021, mostraram que o setor médico tornou-se o mais visado em ciberataques.

O registro de um único paciente pode valer até US$ 1 mil no mercado negro, mais do que informações relacionadas a cartões de crédito.

Por isso, é tão essencial que hospitais públicos e privados, operadoras de seguro saúde e laboratórios de análise adotem posturas preventivas.

Mais do que financeiro, o problema afeta a vida e a intimidade dos pacientes e gera transtornos operacionais, já que requer um grande esforço para restabelecer o atendimento.

Não existe serviço eficiente de saúde sem gestão segura e responsável de dados. É por isso que a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) estende suas medidas protetivas sobre esse segmento.

A grande incidência de malwares e vírus, assim como de ataques hackers, como o que teve como alvo recente o Departamento de Informática do SUS, mostra que a segurança da informação é uma pauta cada vez mais indispensável.

Aprimorar mecanismos de proteção, como armazenamento de dados em nuvem e assinatura eletrônica, é um trabalho constante e permanente.

A armazenagem em nuvem possibilita que bancos de dados sejam protegidos por criptografia, além de ficarem blindados contra danos físicos comuns em bancos de dados próprios.

Já a assinatura eletrônica, com certificado digital, por e-CPF ou e-CRM, garante que o laudo foi realmente emitido por um médico e afasta risco de falsificação.

Preocupada com esses e outros desafios, a Dr. TIS estabeleceu parceria tecnológica com a Amazon Web Services (AWS) e tem certificação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Também é uma das poucas empresas do ramo de tecnologia na saúde certificadas pelo Conselho Regional de Medicina (CRM).

Essas práticas constituem garantias de segurança para beneficiários e instituições que utilizam a plataforma.

Um dos momentos da história mais propício para aliar inovação, segurança e saúde é agora. É tempo de potencializar ferramentas tecnológicas, fomentando o uso de forma adequada com gestão e responsabilidade.

Centrais de laudos, atendimentos de home care e serviços de Atenção Domiciliar (SAD) que oferecem ambientes virtuais confiáveis já deram o primeiro passo para operar nesta nova fase.

O futuro caminha para uma Saúde sem fronteiras físicas, e com uma série de desafios a serem vencidos, mas com grande proteção ao bem mais valioso para as organizações e seu capital humano: dados que impactam diretamente na própria vida.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais