Siga nas redes sociais

Foto: divulgação.

Empreendedora desenvolve negócio inspirada na maternidade e necessidade do filho

Beatriz Bevilaqua

Beatriz Bevilaqua

Jornalista do ecossistema de startups

Muitas empresas podem surgir nos momentos mais inusitados de nossas vidas. Em 2015, Adriana Fernandes tinha acabado de dar à luz ao seu segundo filho, o Léo, este nasceu com severas alergias alimentares. Para amamentá-lo, ela tinha que seguir uma dieta alimentar específica que a indústria alimentícia pouco dava atenção. 

Só quem já passou por alguma restrição alimentar ou cuidou de alguém com intolerâncias ou sensibilidades à produtos do cotidiano, sabe o quanto a vida é impactada negativamente afetando a rotina e até mesmo a parte psicológica do prazer em comer.

Observando esta necessidade de mercado, ela fundou a Mandala Comidas Especiais, uma empresa que produz comidas sem glúten, sem leite e sem cerca de 20 alergênicos. O desafio inicial foi, não somente fundar uma empresa e criar novos produtos, mas criar um nicho que não existia no Brasil. 

Hoje, a empresa é reconhecida nacionalmente pela produção e distribuição de alimentos seguros para alérgicos e intolerantes alimentares, com mais de 6 mil clientes, entre eles redes hospitalares como Hospital Israelita Albert Einstein, Hospital Samaritano, Rede D’Or, laboratórios como Grupo Fleury, e até mesmo escolas como Avenues, Chapel, St Paul, entre outras. 

A empreendedora abriu mão de sua carreira consolidada em comunicação para começar do zero o novo negócio. O apoio do Sebrae foi fundamental para o crescimento da empresa.

Nos primeiros meses de pandemia, a empresa passou por apuros, pois praticamente todos os seus clientes corporativos fecharam as portas ou faliram: escolas, hotéis, aviões, eventos. Tudo parou. Mas, a aposta do digital fez com que mantesse o negócio.

No mesmo ano, a empresa desenvolveu uma linha de refeições instantâneas. Já no ano passado, os clientes corporativos que sobreviveram foram voltando, assim novos contratos foram firmados e com isso a empresa conseguiu crescer 99% neste período.

DICAS PARA QUEM QUER TER SUCESSO

Adriana dá algumas orientações  para as mulheres que ainda estão na fase de ideação do seu negócio e não sabem por onde começar.

Ponto 1: Não caia no engodo de que você terá mais tempo para filhos e família. É fato que, a depender do negócio, você terá alguma flexibilidade de horário. Mas a real é que você irá trabalhar longas horas, várias noites e finais de semana porque nada está garantido. A única certeza será o seu empenho. 

Ponto 2: Estude muito antes, faça cursos, entenda seu negócio, fale com quem já empreendeu no segmento (as pessoas costumam ser bem abertas e colaborativas) e planeje muito bem. MUITO BEM. E garanta que você entenda as exigências legais, regulatórias e tributárias do seu negócio. Ter boas pessoas para acessar é importante, mas saber os temas para poder discuti-los e dominá-los é vital.

Ponto 3: Entenda que não é porque você investiu que terá retorno rápido. Tenha um caixa para esperar até seu negócio virar. O meu demorou alguns anos…

Ponto 4: Crie metas e indicadores. Revise de tempos em tempos. Ajustar o plano, mudar de rumo, pivotar, fechar também são caminhos. Controle suas metas e seus indicadores e seja de fato dona do seu destino.

Neste momento, a Mandala Comidas Especiais terá uma fábrica ainda maior para atender mais praças com ultracongelados e refeições instantâneas.

Além disso, começaram a substituir as sacolas plásticas por oxibiodegradáveis que, ao invés de se decompor no meio ambiente após 450 anos, este demora apenas 2 anos.

Com isso, concluímos que a inovação está nos pequenos detalhes e deve ser uma constância para as empresas que buscam estar a frente de seu segmento. 

Compartilhe o conteúdo

Leia também

Como essas duas femtechs estão transformando a vida de outras mulheres 

65% das indtechs acreditam que a tecnologia na indústria precisa estar a serviço das pessoas

5 tecnologias que vão transformar o futuro digital dos negócios

Receba notícias no seu e-mail