Pesquisa inédita do Serasa mostra que independência financeira é a principal razão para mulheres empreenderem

Ter independência financeira é o principal fator de encorajamento para 40% das brasileiras que querem empreender.

É o que aponta uma pesquisa inédita da Serasa Experian e o segundo motivo para elas é a flexibilidade de tempo.

O estudo revelou ainda que 57% das empreendedoras brasileiras têm a renda totalmente proveniente do próprio negócio. O porte desses empreendimentos são: 57,3% MEIs ou microempresas e 53,8% pequenos e médios negócios

DESAFIOS

O levantamento também identificou os desafios encontrados pelas mulheres na sua trajetória empreendedora.

Para a maior parte delas, cerca de 41%, o preconceito de fornecedores, parceiros e clientes, bem como a dupla jornada de trabalho ganharam destaque como os principais problemas enfrentados.

Outra constatação relevante foi que 37% alegaram a sensação de ter menos oportunidades que os homens no mercado de trabalho.

Apesar desse cenário desafiador, quando perguntadas sobre o que mais as motivam a continuarem empreendendo, 63% delas revelam que querem ter autonomia sobre a vida pessoal e profissional e 21% das entrevistadas afirmaram a importância de apoiar e incentivar outras mulheres a abrirem seus próprios negócios.

Para Cleber Genero, vice-presidente de PME da Serasa Experian, o aumento da presença feminina em diversos setores vem colaborando para a construção de um cenário de equidade no mundo dos negócios:

“As mulheres encontram no empreendedorismo uma forma de empoderamento. No entanto, sabemos que se manter em um mercado competitivo e desafiador exige planejamento, tempo e recursos financeiros. Por isso, é fundamental que cada vez mais mulheres tenham a oportunidade de se preparar para ocuparem esses lugares”.

DIGITALIZAÇÃO

A digitalização, impulsionada pela pandemia, abriu novos caminhos para o empreendedorismo feminino no país, ajudando 78% das entrevistadas na decisão de abrir o próprio negócio. Para 61%, a facilidade encontrada para divulgar sua empresa nos canais digitais também foi decisiva.

O impacto positivo da digitalização também foi identificado nas novas formas de entrega dos produtos (51%), novos meios de pagamento (43%) e inclusões de e-commerce ou marketplace (31%).

CAPACITAÇÃO

Além do ambiente virtual, outro fator significativo para as empreendedoras é o planejamento, uma vez que a grande maioria, cerca de 69%, das respondentes afirmam ter se preparado para abrir seu negócio.

A capacitação também é uma importante aliada para alavancar e garantir o sucesso dos negócios. A pesquisa aponta que 39% das mulheres almejam realizar cursos focados no desenvolvimento profissional para potencializar as perspectivas de futuro das suas empresas.

METODOLOGIA

A pesquisa foi feita entre janeiro e fevereiro. Foram entrevistadas 446 empreendedoras brasileiras incluindo sócias ou donas de micro, pequenas e médias empresas, empreendedoras individuais ou autônomas, trabalhadoras informais e profissionais liberais que trabalham por conta própria.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais