Magalu chega a R$ 14 bilhões em vendas no primeiro trimestre

O Magalu, empresa que está digitalizando o varejo brasileiro, acaba de divulgar os resultados financeiros do primeiro trimestre.

O principal destaque do período foi a recuperação das margens, resultado de uma série de medidas adotadas pela liderança nos últimos meses a fim de adaptar a operação ao atual cenário econômico. 

A margem bruta atingiu 27,8%, aumento de 2,7 pontos percentuais em relação ao primeiro trimestre do ano passado. O EBITDA ajustada ficou em 5% no período, com sinais de evolução.

“A evolução da margem é fruto da busca do equilíbrio entre crescimento e rentabilidade, sobretudo no setor de bens duráveis, no qual somos líderes. A empresa volta a um patamar de margens que só uma operação multicanal como a nossa consegue garantir”, destaca Frederico Trajano, CEO do Magalu.

No primeiro trimestre do ano, as vendas totais da companhia, incluindo lojas e e-commerce, ultrapassaram R$ 14 bilhões, crescimento de 84% da operação nos dois últimos anos.

O e-commerce total, vendas de produtos de estoque próprio e dos sellers do marketplace, avançou 16% na comparação anual. As vendas online atingiram R$ 10,2 bilhões, o que representou 72% das vendas totais no período.

O marketplace continua a acelerar, isso porque as vendas dos 180 mil parceiros presentes na plataforma somaram R$ 3,6 bilhões, alta de 50% em comparação ao ano anterior. Com isso, o marketplace já corresponde a mais de um terço de tudo o que é vendido nos canais digitais da empresa.

O primeiro trimestre do ano também foi de boas notícias para as lojas físicas. As vendas das mais de 1.400 lojas atingiram quase R$ 4 bilhões e foram 6% superiores às registradas no mesmo trimestre do ano passado.

NOVAS RECEITAS E FINTECH

No primeiro trimestre, a KaBuM! passou a fazer parte definitivamente do Magalu, com vendas consolidadas e produtos disponíveis para os 37 milhões de clientes da empresa. No período, vendeu quase R$ 1 bilhão e gerou R$ 50 milhões em lucro líquido. 

Em março, houve o lançamento do Compra Junto, nova modalidade de compra, incorporada ao SuperApp Magalu. Nele, os consumidores se unem em grupos, compartilham ofertas com suas redes de contato e, assim, conseguem aproveitar percentuais de descontos exclusivos.

Um dos principais destaques do período também foi a Fintech Magalu, marca recém-lançada que integra todas as operações financeiras feitas pela companhia e as empresas adquiridas nos dois últimos anos (Bit55, Stoq e Hub Fintech).

A nova estrutura de serviços financeiros cresceu 89% no trimestre. Foram R$ 21 bilhões em volume total de transações processadas, com avanço de 50% no de cartão de crédito, que atingiu R$ 12 bilhões nos primeiros três meses do ano. Atualmente, o negócio tem mais de 7 milhões cartões de crédito emitidos e R$ 19 bilhões em carteira de crédito. 

O braço financeiro do ecossistema Magalu reúne 16 milhões clientes únicos, somando 9 milhões de contas digitais, o que o coloca entre uma das dez maiores fintechs do país.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais