Siga nas redes sociais

Foto: divulgação

Como essa HRTech está revolucionando processos de contratação com diversidade

Transformar o discurso de empresa diversa e inclusiva na realidade prática e cotidiana exige a busca por novos formatos de seleção de pessoas candidatas, além do cumprimento de uma cultura organizacional condizente com o respeito às diferenças.

É nessa interseção que a HRTech Jobecam, referência em seleção e diversidade e inclusão, atua para que empresas tenham processos seletivos mais diversos, justos e eficientes por meio da tecnologia de vídeo utilizando entrevistas anônimas, gravadas ou ao vivo.

De acordo com a Fundação Dom Cabral, mais da metade das empresas brasileiras ainda não têm políticas para diversidade e inclusão, levando em conta 405 executivos de companhias de todos os portes: apenas 34% possuem programas para LGBTQIA+, negros, pessoas com deficiência, mulheres e idosos e cerca de 12% dos executivos desconheciam a existência de tais programas. 

O cenário ainda revela lacunas a serem preenchidas e muito trabalho pela frente. Nesse contexto, a Jobecam tem como propósito eliminar os vieses inconscientes de processos seletivos a partir de ferramentas como vídeo e currículo anônimos, que têm o foco nas avaliações de habilidades e competências profissionais, evitando análises discriminatórias por raça, gênero, idade, religião, condição social ou orientação sexual, por exemplo. 

Com uma trajetória que celebra 6 anos este ano e soma mais de 1 mil empresas atendidas, a HRTech conquistou o Selo de Direitos Humanos e Diversidade pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo (SMDHC), impactou positivamente as seleções de 200 mil pessoas candidatas e recentemente participou do Fórum Global de Inclusão 2022, como única HRTech brasileira representando o país. 

“Aos poucos a gente percebe uma mudança na mentalidade em relação a tantos preconceitos, e são neles que habitam os vieses inconscientes, as interpretações prévias sobre o indivíduo quando é informado gênero, raça, cor, etnia, orientação sexual, entre outras características mais pessoais. É exatamente aqui que vamos continuar nosso trabalho junto às empresas sempre mostrando dinâmicas e ferramentas como o currículo anônimo, em que informações como nome, foto, idade e o bairro onde a pessoa candidata mora são inibidos, para a garantia de processos menos excludentes”, defende Cammila Yochabell, CEO da Jobecam. 

Compartilhe o conteúdo

Leia também

Tecnologia como aliada para impulsionar o sucesso das PMEs

Dimensionamento de times de tecnologia

Vittude anuncia novo head de marketing

Receba notícias no seu e-mail