Siga nas redes sociais

Search
Foto: divulgação.

Bewiki investe R$150 milhões em empreendimento no RJ

A Bewiki, empresa de Santa Catarina que une tecnologia e comunidade para oferecer uma plataforma completa com espaços e serviços essenciais, está investindo R$ 150 milhões na construção de seu novo empreendimento e escolheu o centro da cidade do Rio de Janeiro para iniciar sua operação.

A empresa comprou um prédio histórico na região e fará um dos maiores retrofits do Brasil para transformá-lo em um hub de compartilhamento imobiliário com espaços para morar, trabalhar, cuidar da saúde e se divertir.

Serão mais de 30 mil m² remodelados em studios, escritórios, supermercados, bares, restaurantes, consultórios médicos, veículos por assinatura, e outras áreas compartilhadas.

Eduardo Gastaldo, CEO da empresa, explica que o propósito é facilitar o dia a dia dos usuários, otimizando tempo e aumentando a qualidade de vida com o menor impacto ambiental e maior impacto social:

“A recuperação de áreas centrais só se faz com gente morando, estudando, comprando, trabalhando e vivendo. O objetivo da Bewiki é reunir todas essas atividades em um único espaço, contribuindo para tornar as áreas em que atuamos mais vivas e diversas”.

Ao todo, a empresa tem um landbank de 4,5 mil unidades habitacionais e VGV de R$ 2,4 bilhões para os projetos já definidos.

NETFLIX DOS SERVIÇOS E ESPAÇOS ESSENCIAIS PARA O DIA A DIA

Você abre um aplicativo e, em vez de filmes e séries, encontra diversas opções de espaços e serviços para as atividades do dia a dia.

Em vez de escolher o que assistir, você escolhe onde vai morar, um espaço para o seu escritório, um profissional de saúde para se consultar, o carro que vai dirigir nos próximos meses e por aí vai.

Todos os espaços e serviços oferecidos estão disponíveis por aplicativo de celular e são divididos em seis verticais.

Compartilhe o conteúdo

Leia também

Empresa divulga nova marca e quer dobrar faturamento

GrupoRV anuncia expansão para Portugal

Por que a DUIMP é um marco para as importadoras brasileiras? 

Receba notícias no seu e-mail