Siga nas redes sociais

Search
Foto: divulgação.

Infoprodutos se popularizam e prometem aproximar empresas e consumidores

A pandemia popularizou a transmissão de informações de forma organizada pela internet, tornando o conceito de infoprodutos uma nova oportunidade de mercado.

De acordo com Carlos Augusto Paiva, CEO da Transformar, agência de lançamento especializada em infoprodutos, o conceito, em sua essência, é um produto em formato digital que tem o objetivo de ensinar e transmitir informação de qualidade para consumo na internet:

“Ao se inscrever em um curso on-line, assinar uma revista ou jornal eletrônico, assistir uma vídeo aula ou até mesmo baixar um e-book, você está consumindo infoprodutos”.

Dados apontam que, durante a pandemia, o setor cresceu 103% e existem expectativas para que esse índice continue aumentando.

“A busca por esses novos produtos se tornou uma oportunidade, tendo em vista que esse mercado nunca esteve tão aquecido como agora e não é necessário nem, ao menos, sair de casa para criar um negócio rentável. Nos dias de hoje, não somos nós que vamos atrás da informação, mas sim, ela que vem até a gente”, destaca.

Com esse crescimento, os diferentes tipos de infoprodutos comercializados podem resultar em lucros e bons resultados financeiros. Um levantamento realizado pela Conta Azul revela que os e-books são os produtos mais comercializados digitalmente este ano, mas podcasts, videoaulas e até mesmo revistas digitais mostram um constante aumento de consumo.

Para o empresário, a ascensão dos infoprodutos está diretamente ligada à conexão que foi criada entre as pessoas com o advento da tecnologia:

“Nos relacionamos, aprendemos e consumimos conteúdo da internet. Nos últimos anos isso se intensificou cada vez mais, principalmente com a pandemia, um período em que passamos a utilizar majoritariamente meios digitais para nos comunicarmos com as pessoas. Nos conectamos mais com os nossos familiares, amigos, colegas de trabalho e sentimos a necessidade de estar constantemente on-line”.

Ele afirma que o surgimento dos infoprodutos é consequência da constante evolução na comunicação digital. E acredita que, se desenvolvidos corretamente, eles têm o poder de espalhar o conhecimento e conectar as pessoas.

“Quando alguém tem algo para ensinar, que possa solucionar necessidades ou até mesmo facilitar a vida de outras pessoas, é válido transformar este conhecimento em um infoproduto para que essas informações continuem sendo proliferadas entre a sociedade e cheguem a outros grupos e comunidades”, conclui.

Compartilhe o conteúdo

Leia também

Empresa divulga nova marca e quer dobrar faturamento

GrupoRV anuncia expansão para Portugal

Por que a DUIMP é um marco para as importadoras brasileiras? 

Receba notícias no seu e-mail