Siga nas redes sociais

Search
Foto: divulgação.

BI aplicado nas empresas: construindo um ambiente de inteligência analítica

Por Alessandro Dall Orto, CEO da Dupay.

É inegável a importância do uso da tecnologia no ambiente corporativo para obter os melhores resultados. Reduzir custos, aumentar a produtividade e otimizar processos são alguns dos benefícios mais evidentes proporcionados por soluções tecnológicas, e que se fazem ainda mais necessários se considerarmos a alta dinâmica e competitividade do mercado atualmente. Neste contexto de ampla digitalização das informações de interesse para as empresas, surgem as soluções voltadas à inteligência de dados.

O Business Intelligence é um processo orientado pela tecnologia para analisar dados e fornecer insights que ajudem executivos, gerentes e operadores a tomar decisões de negócios a partir da informação. Consistindo na intensa coleta e análise de dados, implementar o BI pode trazer vantagens específicas para cada tipo de negócio. Porém, pode-se dizer que os objetivos principais do processo abarcam a melhora da eficiência operacional, o aumento da receita por meio das melhores decisões para a empresa, e o ganho de vantagens sobre a concorrência no mercado. E, para alcançar tudo isso, será necessário construir um ambiente de Inteligência Analítica.

A tecnologia como fator crucial

Desenvolvido a partir de softwares de última geração, o Business Intelligence é uma metodologia criada com o suporte das soluções tecnológicas. Como parte do processo de BI, as organizações coletam dados de sistemas internos de TI e fontes externas, os preparam para análise, criam painéis de BI – customizados para melhor visualização dos aspectos relevantes do negócio -, disponibilizando, assim, os resultados analíticos aos usuários para tomada de decisões operacionais e gestão estratégica. Com uma plataforma de BI, é possível executar consultas aos dados de maneira rápida e inteligente.

Vale reforçar que a gestão tradicional de empresas passou da fase das decisões tomadas exclusivamente com base na experiência empírica e na intuição. Com o avanço das tecnologias da informação, e com o alto volume de dados gerados pelas empresas atualmente, podemos considerar a tecnologia uma prerrogativa essencial para a edificação de um ambiente de Inteligência Analítica. E a estruturação do BI inclui mais do que apenas a instalação dos softwares – é preciso integrar as principais fontes de informação do negócio para se ter um controle mais amplo e robusto.

A influência dos dados na tomada de decisão

A aplicação de um programa de BI consistente produz vários benefícios para uma organização. Os dados disponibilizados integram as necessidades de diferentes usuários, seja para uso operacional ou analítico. Em termos de gestão, a identificação e solução de problemas relacionados à cadeia produtiva é muito mais rápida e assertiva com o BI. A otimização dos processos internos e a possibilidade de desenvolver estratégias de negócio sólidas proporcionadas pelo processo também podem levar ao crescimento acelerado da empresa e lucros maiores.

Sem o BI, por outro lado, as organizações deixam de aproveitar prontamente a tomada de decisões orientada por dados. Em vez disso, executivos e gerentes precisam basear importantes decisões em outros fatores, como o conhecimento acumulado, as experiências anteriores e a intuição. Embora esses métodos possam resultar em boas decisões, eles também estão repletos de potenciais erros devido à falta de informações que os sustentem. Por isso, estruturar um ambiente norteado pelo BI e pela Inteligência Analítica é o melhor caminho para garantir o crescimento sustentável, fortalecendo e agilizando o processo de tomada de decisões e mitigando os riscos de resoluções prejudiciais ao negócio.

Compartilhe o conteúdo

Leia também

Empresa divulga nova marca e quer dobrar faturamento

GrupoRV anuncia expansão para Portugal

Por que a DUIMP é um marco para as importadoras brasileiras? 

Receba notícias no seu e-mail