Siga nas redes sociais

Search
Jan Krutzinna, fundador e CEO do ChatClass. Crédito: Marco Torelli.

Como essa startup entrega tecnologia para empresas criarem treinamentos corporativos

Aumentar a produtividade das empresas por meio da educação. Esse é o objetivo do Jan Krutzinna, CEO da Chatclass, uma edtech focada em entregar tecnologia para empresas criarem treinamentos corporativos. O Economia SP Drops conversou com o empresário para saber mais como a solução funciona e quais os próximos passos. Confira abaixo:

Como surgiu a ideia para o modelo de negócio?

Jan: Sou da roça da Alemanha, filho de um professor de escola pública, tive uma vida simples e o inglês me possibilitou novas oportunidades. Consegui uma bolsa para estudar na Universidade Harvard e fiz um curso de português durante o período, o que me trouxe ao Brasil. Chegando aqui percebi que o ensino de inglês era muito silencioso e as pessoas tinham muita vergonha e medo de falar. Como o WhatsApp é uma ferramenta de expressivo uso no país e interativa, tive a ideia de usar a plataforma para ajudar no aprendizado da língua por meio de vídeos, áudios e mensagens que eram corrigidas e respondidas por um “robô” (chatbot) criado por nós. Fomos aprovados para o programa de aceleração SEED-MG, em Belo Horizonte e depois tivemos a chancela de diversos outros programas da Estação Hack do Facebook, Google for Startups, Holon IQ, GSV Cup e Endeavor Scale Up. Ampliamos nosso escopo de atuação e hoje também ajudamos diversas empresas como Stone, EDP, Iungo, Grupo GSH na criação de cursos corporativos e escolas como Cultura Inglesa e professores de inglês autônomos que desejam ensinar via WhatsApp. 

Desde a sua fundação, qual o balanço da startup? (número de alunos, atuação em quais estados, número de profissionais cadastrados, faturamento, crescimento). 

Jan: Já impactamos mais de 500 mil alunos de inglês, mais de 10 mil professores e atendemos mais de 30 empresas com a criação de cursos para upskilling no Brasil, Estados Unidos, Alemanha, Chile e Colômbia. 

Como funciona a educação por WhatsApp? Quais os benefícios?

Jan: O WhatsApp já tem adesão e familiaridade por muitos brasileiros, facilitando o uso e trazendo mais aderência e engajamento com uma tecnologia descomplicada, sem ocupar a memória do celular dos alunos com novos aplicativos, visto que 99% dos smartphones tem o WhatsApp instalado,  segundo a pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box. Temos mais de 2.000 atividades prontas e também oferecemos a possibilidade de criação de cursos personalizados de forma simples e prática por meio de formulários que disponibilizamos na plataforma ChatClass. Empresas, escolas e professores de inglês autônomos podem criar seus cursos e compartilhar os conteúdos no WhastApp com interação via texto, áudio, vídeo, documentos e links. Os conteúdos são enviados em perguntas de diversos formatos, organizados em pílulas de aprendizagem, o que otimiza as taxas de respostas e finalização dos cursos em até 95%. No aprendizado do inglês, a ChatClass viabiliza essa oportunidade de prática da fala em frases completas, com conversas naturais  e correções automáticas dos exercícios por meio da Inteligência Artificial e do WhatsApp. Além disso, o WhatsApp é o canal mais eficiente para atingir os profissionais da linha de frente nas empresas, que muitas vezes são terceirizados e precisam cada vez mais de capacitação e treinamentos que podem ser acessados a qualquer hora e de qualquer lugar.

Recentemente, a ChatClass recebeu um aporte de R$1.3 milhão. Onde será aplicado esse investimento?

Jan: Nós visamos revolucionar a educação por meio do aprendizado via chat, seja no ambiente escolar ou corporativo. Participar de uma disputa global que selecionou os 30 projetos mais promissores e plataformas de transformação da educação, só nos mostrou que estamos no caminho certo. Estes recursos serão utilizados para trazer melhorias de usabilidade da ferramenta, promover o uso de uma tecnologia simples e fácil para aprendizado, bem como atrair empresas e escolas que desejam impulsionar pessoas, seja por meio de cursos personalizados ou o aprendizado de um novo idioma.

Quais as metas da empresa para este ano? E o que esperar para 2023?

Jan: Queremos crescer 40% em comparação com o ano passado. Para 2023, aumentar a cartela de clientes corporativos e professores de inglês autônomos em 50%. 

Leia outras entrevistas do Economia SP Drops clicando aqui.

Compartilhe o conteúdo

Leia também

Empresa divulga nova marca e quer dobrar faturamento

Monica-Ferreira

Como driblar a escassez de mão de obra em TI?  

GrupoRV anuncia expansão para Portugal

Receba notícias no seu e-mail