Siga nas redes sociais

Search
Marcio Pilot / Divulgação Kultua

Peopletech diagnostica as relações e experiências de trabalho e potencializa culturas organizacionais

Os valores, missão, visão e propósito são os direcionadores e pilares da organização, mas nem sempre estão claros ou se refletem nas práticas e comportamento de todos os colaboradores dentro das organizações.

Sem esse alinhamento, a cultura organizacional tende a apresentar brechas e inconsistências, o que reflete diretamente no senso de conectividade dos colaboradores, produtividade e, consequentemente, na redução de lucros e faturamento da corporação.

Após a adaptação ao trabalho remoto no período da pandemia, o aumento da atenção a temas relacionados à saúde mental trouxe profundas reflexões entre gestores e empresários sobre a importância da cultura organizacional, gestão de mudança e o seu impacto no negócio.

Dessa forma, as lideranças entenderam a necessidade de buscar soluções e plataformas com o objetivo de compreender todo o cenário comportamental interno da instituição, visando uma melhor gestão de cultura.

Neste contexto surge a Kultua, primeira peopletech do Brasil especialista em diagnósticos de cultura, rituais de gestão de pessoas e people analytics personalizados.

A startup começou a ser idealizada durante a participação da fundadora e CEO, Lívia Brandini, no desafio de Pessoas & Cultura na 1ª Ideation Week Shell, em parceria com a Fábrica de Startups Brasil, onde o projeto foi selecionado pelo programa e acelerado 8 meses, passando por diversas etapas de desenvolvimento do modelo de negócio.

Logo na sequência, a fundadora foi aprovada no programa de aceleração do Founder Institute Paraná, no qual pivotou a solução e se graduou em novembro de 2020.

Desde então, já foram realizados 23 diagnósticos, em empresas de diversos portes e segmentos, como a LogComex, Tátil Design e Valenet.

Para este ano, a expectativa é alcançar a receita mensal de R$ 174 mil e aumentar em 74% o número de clientes ativos.

Gestão de cultura e mudança organizacional como alavancas do negócio

De acordo com a empresária, existem muitos gaps entre a cultura real instalada e a cultura desejada nas empresas. Portanto é fundamental investir em tecnologias que ajudem a identificar estes gargalos com base em métricas efetivas.

“Disponibilizamos para nossos clientes uma plataforma SaaS (Software as a Service) B2B com pesquisas de cultura personalizadas, automação de rituais customizáveis e People Analytics. Nossos diagnósticos de cultura em profundidade trazem à tona os reais desafios críticos da corporação a serem priorizados e segmentados. Dessa forma, apoiamos as organizações a atingirem seus objetivos de cultura meta, aquela cultura que elas realmente almejam, mas não vivem na prática” explica.

Os diagnósticos são realizados por meio de pesquisas personalizáveis com colaboradores, sócios e fundadores das empresas, de maneira 100% online pela plataforma.

“Conseguimos modelar, validar e aprimorar os códigos de cultura independente do momento em que se encontra a organização, por exemplo, metrificando a prática frequente de valores, comportamentos esperados, identificação de missão/visão ou qualquer outro atributo cultural existente”, comenta.

Com isso, é possível realizar a gestão de cultura e mudança organizacional de forma mais estratégica e data-driven, estimulando um ambiente corporativo mais colaborativo, inclusivo e focado em resultados.

“Ao otimizar e acompanhar as práticas e rituais de cultura, você tem um ambiente corporativo mais saudável, engajador e produtivo. Empresas com culturas mais aderentes e autênticas são 48% mais propensas a aumentarem sua receita e 80% mais propensas a atingirem a satisfação de seus clientes”, conclui.

Compartilhe o conteúdo

Leia também

Empresa divulga nova marca e quer dobrar faturamento

GrupoRV anuncia expansão para Portugal

Por que a DUIMP é um marco para as importadoras brasileiras? 

Receba notícias no seu e-mail