Siga nas redes sociais

Search
Foto: divulgação.

4 formas que a inteligência artificial vai ajudar o varejo no próximo ano

Por Breno Barros, CTO da Falconi.

Precificar melhor, diminuir quebras de estoque, prever demanda e personalizar o serviço de atendimento ao cliente.

Esses são alguns exemplos do potencial do uso de inteligência artificial no varejo, seja no modelo físico ou até mesmo nos canais de e-commerce.

Não olhar para a tecnologia pode representar uma renúncia para muitos negócios. Dados do IDC mostram que a expectativa é que investimentos globais em inteligência artificial dobre atém 2024, alcançando a marca de US$ 100 bilhões só nos próximos dois anos.

Muito inspirado em modelos pioneiros trazidos por gigantes como a Amazon, varejistas passaram a olhar para as ferramentas tecnológicas como aliadas de uma gestão mais eficiente, produtiva e costomer centric.

Em mercados como o varejo, setor com grande escala de produtos e clientes, a generalidade das soluções de IA se tornam aptas para agir em diferentes frentes diante do dinamismo deste nicho de mercado.

Posto isso, empresas que buscam sair na frente em 2023 devem se atentar às possibilidades de uma tecnologia exponencial, capaz de trazer automatização e geração de insights com potencial para mudar o patamar de muitos varejistas brasileiros.

Para o trabalho dar certo, no entanto, é preciso dar um passo atrás na chamada transformação digital. O e-commerce, negócio que já nasce no ambiente online, larga na frente, pois sem a geração de dados digitalizados, torna-se complexo demais aplicar IA em busca de melhorias práticas. Não adianta querer pular etapas antes de estar pronto para explorar os limites da tecnologia.

Entre aquelas que já se encontram gerando dados massivos, no entanto, as oportunidades são incontáveis. Para destacar alguma delas, e mostrar que é possível aplicá-las em seus negócios ainda em 2023, apresento quatro vantagens do uso de IA no varejo.

PREVISÃO DE DEMANDA

Por meio da análise de dados, algoritmos podem ajudar varejistas a entender melhor seu estoque e, principalmente, a fazerem uma melhor gestão dele. Por exemplo, a IA tem capacidade para identificar padrões e anomalias, permitindo que os empresários se programem com antecedência, o que pode gerar economias e melhores negociações com fornecedores.

PRECIFICAÇÃO

Da mesma forma que a gestão de estoque otimizada, é possível também melhorar a precificação dos seus produtos. Levanto em conta pontos como concorrência, canibalização, promoções e comportamentos dos consumidores em uma escala pouco apta aos funcionários em razão da escala, as aplicações de IA são capazes de analisar produtos individualmente, gerando uma melhoria e um ganho dificilmente comparável ao trabalho analógico.

CLIENTE NO FOCO

Dentro do e-commerce, por exemplo, há também a questão da customização da experiência do cliente, com base em sistemas de recomendação. Por exemplo, a partir dos dados dos usuários e dos seus comportamentos de compra, é possível indicar uma lista de produtos “personalizada”, aumentando as chances de uma nova venda. Essa é uma das formas mais tradicionais de trazer o consumidor para o protagonismo do negócio.

IA NO ATENDIMENTO AO CLIENTE

Outro ponto que muitos não levam em conta é a capacidade de gerar canais de contato customizados com os seus clientes. A partir da análise de dados e de padrões, é possível saber quais são as melhores e mais assertivas formas de se conectar com seus consumidores, seja via e-mail, SMS ou contato telefônico, por exemplo.

Compartilhe o conteúdo

Leia também

CEO TOPMIND Sandra Maura

Transformação sustentável: a convergência da digitalização, IA e ESG

Bud

Bud planeja dobrar faturamento do negócio

Empresa divulga nova marca e quer dobrar faturamento

Receba notícias no seu e-mail