Como o posicionamento de marca ajuda empresas a criarem valor no mercado

Inquieto, questionador e apaixonado por posicionamento de marca. Assim Felipe Gondin, CEO da CAPME Branding, se define em seu perfil no Instagram. Recém-chegado ao time de colunistas do portal, no Economia SP Drops ele dá dicas aos que querem melhorar suas marcas, criar valor para o mercado e tornar um negócio mais humanizado. Confira abaixo:

Como o posicionamento de marca ajuda empresas a criarem valor no mercado?

Hoje em dia, a relação de consumo demanda identificação com os produtos e serviços oferecidos pelas empresas. As empresas que conseguem ler bem os seus públicos são aquelas que dominam o entendimento sobre o comportamento sobre seus hábitos e preferências, entregando valor de forma clara e eficiente. Para isso, o posicionamento bem planejado e executado é fundamental. 

Quais suas dicas para quem quer ser lembrado no mercado? Como fixar a marca na consciência das pessoas?

Muitas empresas sofrem com a miopia do ganho no curto prazo. Posicionamento requer consistência. A Apple tem 46 anos. A Coca-Cola tem 130. Sua marca precisa ser verdadeira, entender a fundo o problema que resolve no dia-a-dia do cliente e oferecer a entrega mais ajustada nas condições ideais. 

Como tornar uma marca mais humanizada?

Assim como as pessoas, as marcas também tem suas vulnerabilidades, inseguranças, desafios. Humanizar não é apenas colocar pessoas no centro do modelo de negócios, mas admitir que suas competências e incompetências existem. Você não saber fazer “B” e ter clareza disso pode ser o melhor caminho para dominar a execução e a entrega de “A”.  

Como ir além e praticar o branding da marca no dia a dia? 

Verdade e consistência. Quem já fez algum processo de terapia ou autoconhecimento, sabe que é muito difícil assumir suas qualidades e inseguranças. Mais difícil ainda é praticar aquilo que acredita, independente dos “outros”. Essa prática também se replica nas marcas. Muitos interesses envolvidos de ordem econômica, política e pessoal. Porém, esse autoconhecimento empresarial é o passo necessário para tomadas de ação relevantes e que te coloquem em evidência na mente de quem consome o seu produto ou serviço. Pode ser uma cor, uma ação, uma frase, um produto. Desde que seja verdade e faça você ser reconhecido como alguém resolvendo um problema e gerando valor, as coisas acontecem. 

Quais os principais erros que as marcas cometem no campo do branding?

Não ouvir o cliente e fazer promessas rasas. Branding é uma promessa. Quando você cumpre a promessa que fez, ganha o direito de prometer novamente e isso vira um ciclo virtuoso de relacionamento e ganhos financeiros. Precisamos evitar a armadilha de que sabemos tudo sobre o que fazemos e que o cliente precisa desesperadamente da nossa solução. Quase sempre estamos errados ou ao menos as coisas não são tão simples quanto parecem. Entender quem somos, o que o nosso cliente espera e como gerar valor com isso. Esse é o tripé fundamental.

Leia outras entrevistas do Economia SP Drops clicando aqui.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais