Employer branding é ferramenta dos líderes do futuro

Por Beatriz Nascimento, presidente executiva da Brasil Júnior.

No mundo dos negócios, cultivar técnicas e ações que ajudem a construir e manter uma boa imagem da empresa visando o recrutamento e a retenção de talentos vem se destacando cada vez mais entre as prioridades dos C-levels e do RH. Como parte cada vez mais importante na formação de novas lideranças, as Empresas Juniores (EJs) já incorporaram esse conceito, que no mercado é conhecido como employer branding.

Segundo recente pesquisa do LinkedIn, cerca de 75% das pessoas verificam as características das empresas antes de mandarem seus currículos para vagas de emprego. Por isso, o employer branding é muito utilizado na busca e contratação de novos talentos. Em um mercado cada vez mais competitivo, os profissionais sabem onde querem e onde não querem estar. E como hoje uma das grandes dificuldades das empresas, além de atrair bons profissionais, é conseguir retê-los por um longo período, essas ferramentas estão fazendo a diferença em organizações de todos os portes.

Em sua experiência nas EJs, os empresários juniores aprendem desde cedo a equação chave para criar um bom ambiente de trabalho e que, ao mesmo tempo, vai resultar em crescimento para o negócio: pessoas motivadas + felicidade = aumento da produção.

A jornada nas empresas juniores, onde eles vão vivenciar na prática como administrar um negócio, traz alta qualificação para os estudantes de graduação, preparando-os para o desafio do employer branding e para todos os outros inerentes ao mundo corporativo. As EJs são verdadeiras “fábricas” de talentos, o que as tornam locais estratégicos para que as empresas se utilizem de branding employee. Isso, por consequência, atrai grandes corporações interessadas em investir, por exemplo, na Brasil Júnior, entidade que, no país, representa e é responsável por impulsionar o Movimento Empresa Júnior (MEJ), atuando junto a esses parceiros para conectar talentos às empresas.

Durante o último Encontro Nacional das Empresas Juniores (ENEJ), que aconteceu em agosto deste ano em Alagoas e recebeu mais de 5 mil jovens de EJs de todo o Brasil, o conceito de employer branding foi bastante comentado e colocado em prática, servindo como inspiração para os jovens empreendedores. Os estandes foram uma das formas de colocar as ferramentas em prática para que as empresas se tornassem marcas mais próximas dos empresários juniores, com a divulgação de informações das organizações, de diversas formas. 

A própria Brasil Júnior foi fonte de aprendizado ao executar, durante o evento, um funil com cinco etapas de employer branding na divulgação de vagas para os empresários juniores e de talentos de pós-juniores para grandes empresas, que recrutam a maior parte dos aprovados das EJs com histórias de transformação e de sucesso nas empresas iniciantes. Outros parceiros do ENEJ, como Bradesco, Renner e Azul Linhas Aéreas, também aderiram às ferramentas internamente, sendo excelentes benchmarks para as EJs.

O autor, palestrante TED e futurista Jacob Morgan diz: “Em um mundo onde o dinheiro não é mais o principal fator de motivação para os colaboradores, focar na experiência do funcionário é a vantagem competitiva mais promissora que as organizações podem criar.” As empresas juniores refletem essa tendência, amadurecendo nos nossos jovens os conceitos que os tornarão líderes do futuro no universo corporativo.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais