Siga nas redes sociais

Search
connecting-food
Foto: Divulgação

Foodtech oferece inteligência e eficiência para evitar o desperdício

Estimativas da Organização das Nações Unidas (ONU) indicam que, em 2019, 17% do total de alimentos disponíveis aos consumidores, cerca de 931 milhões de toneladas, foram para o lixo.

Para evitar esse problema, a Connecting Food busca conectar empresas e Organizações da Sociedade Civil (OSCs), para o combater ao desperdício de alimentos, a fome e ajuda o setor privado no cumprimento da agenda ESG.

Fundada em 2016 pela engenheira de alimentos Alcione Pereira, a foodtech oferece inteligência e eficiência para a inovação social no setor alimentício. A empresa atende mais de 380 OSC’s e já auxiliou na redistribuição de mais de 7 mil toneladas de alimentos que seriam desperdiçados.

“Buscamos gerar valor compartilhado para o ecossistema em que estamos inseridos; onde, além de resultados para nossos clientes, conseguimos beneficiar diversas organizações e a sociedade como um todo, criando um círculo virtuoso na redução do desperdício de alimentos. Por isso, desenvolvemos um trabalho de articulação e engajamento sobre a problemática e sobre a  importância de iniciativas que promovam a redução do desperdício de alimentos. Além disso, para ter uma ampla visibilidade sobre os desperdícios, geramos dados estratégicos para a gestão das perdas e melhorias operacionais”, destaca Alcione Pereira, fundadora e CEO da Connecting Food.

Por meio de dados, tecnologias, processos ágeis e conscientização, a foodtech estimula o combate ao desperdício de alimentos de forma estratégica, fomentando a gestão inteligente através das doações de alimentos. O objetivo da empresa é provocar a mudança de comportamento na sociedade.

Compartilhe o conteúdo

Leia também

Empresa divulga nova marca e quer dobrar faturamento

nordvpn

O que acontece com os dados na web depois que alguém morre?

Monica-Ferreira

Como driblar a escassez de mão de obra em TI?  

Receba notícias no seu e-mail