Startup muda de nome para iniciar expansão internacional

O conceito sobre trabalho está em constante transformação e o maior marketplace de espaços de trabalho da América Latina também.

O BeerOrCoffee agora é Woba. Derivado do termo “Work-Life Balance” (vida profissional equilibrada), o novo nome marca uma virada no modelo de negócios: de plataforma que conecta profissionais e empresas para um ecossistema de soluções de escritórios.

Com mais de 1.500 mil espaços em 200 cidades do país, a plataforma se consolida ao facilitar o acesso flexível e sob demanda a espaços de trabalho para diferentes usos como escritórios, espaços para eventos ou reuniões.

Roberta Vasconcellos, CEO e co-fundadora da empresa, destaca que a mudança  da marca tem o objetivo de acompanhar as atualizações e as transformações do setor de atuação:

“Na sua criação, o BeerOrCoffee tinha o propósito de facilitar conexões. Nossos usuários tinham em suas mãos o poder de encontrar outras pessoas, pares, mentores ou parceiros e os convidarem para um bate-papo, com um café ou cerveja. Em 2017 percebemos que os espaços de coworking eram os pólos dessa conexão e pivotamos para um modelo de conectar pessoas e empresas aos melhores espaços de trabalho do Brasil. Porém, com base nos acontecimentos dos últimos anos e seus impactos no mercado, principalmente, com o aumento da flexibilização do trabalho, entendemos que nossas soluções e serviços entregam muito mais do que a marca BeerOrCoffee conseguia carregar e, por isso, foi necessário atualizar”.

Funcionários passaram a exigir um modelo de trabalho flexível e empresas tiveram de se adaptar, a Woba esteve por perto de muitas que optaram por essa transição, como iFood, Gupy e Stellantis, por exemplo.

“Percebemos que nossa marca vai além do que inicialmente nos propusemos a fazer. Foi necessário adequar nossa mensagem para este novo mercado e o novo perfil do cliente para transparecer todo o escopo do que oferecemos em nossas soluções e atendimento”, afirma.

Fundada em 2017, em Belo Horizonte, e desde o início de sua operação, levantou R$ 8 milhões de capital inicial com Kees Koolen, o cofundador do Booking.com, em 2018, e R$ 55 milhões na Séries A com Kaszek e Valor Capital, no ano passado.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais