Siga nas redes sociais

Search
Sabrina Luko, Head de Gestão de Talentos da nstech. Foto: Joy Fotógrafo.

nstech lança projeto para acelerar o desenvolvimento profissional 

Segundo uma pesquisa da Gallup, cerca de um terço dos trabalhadores em todo o mundo estão engajados com seu trabalho e desenvolvendo habilidades.

Melhorar as trocas no ambiente corporativo tem feito parte do propósito de muitas empresas que enxergam os talentos como essenciais para o crescimento do negócio e a nstech, ecossistema conectado de tecnologia para logística e mobilidade, é uma delas.

Criado esse ano pela empresa, o projeto Yoda tem o objetivo de acelerar e incentivar o desenvolvimento dos mentorados em suas áreas de atuação, focando no desenvolvimento individual de cada colaborador.

O programa de mentoria que tem duração de um ano, parte do princípio que todo profissional sênior tem potencial para acelerar o desenvolvimento de outras pessoas com nível de senioridade menor.

Para isso, é feito um plano de desenvolvimento individual unindo o que a pessoa precisa e gostaria de  aprender em sua área de atuação e o que a equipe precisa que ela se desenvolva de acordo com o projeto ou atividade em que ela está alocada.

Diversas rotinas do programa ajudam a manter quem está recebendo a mentoria engajado com os estudos, como reuniões de 1:1, indicativos de evolução de estudos e avaliações de desempenho.

“O projeto Yoda foi essencial para meu desenvolvimento como profissional. Por muitas vezes no início da carreira não sabemos ao certo qual o melhor caminho a se trilhar, e é aí que o projeto faz uma diferença enorme, já que temos sempre um mentor para auxiliar com um plano de desenvolvimento que esteja alinhado aos nossos objetivos como profissional. Além disso também é muito bom no quesito de confiança, já que no início somos muito travados em relação aos erros, aquele medo de errar e ser punido por isso, com um mentor por perto esse medo praticamente desaparece e dessa forma fica muito mais fácil colocar em prática todo o aprendizado adquirido”, conta Gabriel Rodrigues, desenvolvedor front-end, que entrou na empresa como desenvolvedor júnior e em menos de 8 meses foi promovido à pleno e também uma das pessoas mentoradas pelo programa.

Para Sabrina Luko, head de gestão de talentos da nstech, o projeto reforça o posicionamento do ecossistema enquanto marca formadora. A ideia é fazer com que as pessoas foquem em seus pontos fortes e ampliem a troca de conhecimento:

“Esse projeto foi pensado para garantir que o aprendizado e a evolução fizesse parte do DNA dos nossos times. Acreditamos muito que a vontade de aprender é tão importante quanto a experiência”, explica.

Compartilhe o conteúdo

Leia também

Empresa divulga nova marca e quer dobrar faturamento

GrupoRV anuncia expansão para Portugal

Por que a DUIMP é um marco para as importadoras brasileiras? 

Receba notícias no seu e-mail