Mês do Empreendedorismo Feminino: conheça 7 empreendedoras que cresceram junto com o movimento

Novembro é reconhecido por ser o Mês do Empreendedorismo Feminino, principalmente no Brasil, que é o sétimo com o maior número de mulheres empreendedoras, segundo dados do Sebrae e da Global Entrepreneurship Monitor de 2020.

Durante a pandemia, houve um forte crescimento em relação às empreendedoras no país. De acordo com a pesquisa da Global Gender Gap Report, do Fórum Econômico Mundial, foi registrado um aumento de 41% de mulheres empreendedoras que iniciaram seus projetos em 2020.

Seja por necessidade de se sustentar ou pela oportunidade de lançar um negócio, os desafios também aumentaram dentro e fora de casa, devido ao momento econômico mundial.

Veja abaixo as histórias de algumas mulheres que, apesar dos desafios da carreira, da maternidade e de conciliar a vida pessoal com a profissional, se destacam no mercado: 

Ana Meneguini: é fundadora e estrategista em Branding, Geração de Demanda e Receita na ITM desde 2020. Empreendedora nata, é pós-graduada em Marketing pela FGV, realizou MBA em Gestão de Negócios pela USP e é mentora do movimento DPE (Delas, para Elas) e de outras iniciativas que visam fomentar a liderança e o empreendedorismo feminino. Com mais de 20 anos de experiência e com especialização em Branding, Growth, trade marketing, vendas, comunicação interna e institucional, Ana cria sua marca para auxiliar empreendedores a se destacarem no mercado atual. 

Renata Bruggioni: é sócia-diretora da Pratika há 9 anos, tem mais de 20 anos de experiência em áreas diversas de planejamento e customer care. Responsável por liderar projetos de eficiência comercial e operacional, é formada pela ESPM em Propaganda e Marketing e com pós-graduação pela Fundação Getúlio Vargas. Também acumula passagens por grandes empresas como American Express, Telefônica/Vivo. Para ela, os desafios como empreendedora mudam quase diariamente.

“Acredito que o maior deles é o crescimento, aumentar nossas vendas, sem perder qualidade dos nossos projetos e a proximidade com nossos clientes. Crescer sem perder nossa essência: essa é a pauta central com todo o time”, afirma.

Juliana Vital: é Global Chief Revenue Officer e representante da Nubimetrics no Brasil. Além disso, é LGBTQIQ+ e conquistou um dos postos mais importantes na empresa argentina de sales intelligence, que empodera sellers em marketplaces com dados de IA em busca de ajudá-los a melhorar seus resultados. Publicitária, com pós-graduação em administração pela FGV, atua na área de tecnologia desde o início da carreira, que tem mais de 17 anos. É especialista em reposicionamento de produtos, diagnóstico de operações de empresas e reestruturação completa (da linha de produtos, receitas, processos e estrutura) com foco em aumento de receita e eficiência. Antes de entrar para a equipe da Nubimetrics, Juliana também seguiu carreira executiva na Sprinklr/Scup, Voopter e Cortex.

Alline Goulart: é Diretora de Operações e sócia da Semente Negócios. A profissional apoia a organização no desenho e estruturação da estratégia de crescimento, auxilia as verticais em projetos de inovação social e pode contar sobre os desafios empreendedores para essa minoria. Este ano, o foco da startup é nos projetos de diversidade. Entre os programas estão o Programa Sebrae Delas Mulher de Negócios, Mulheres do Nosso Bairro e Cidade por Elas, os três são idealizados pelo Sebrae Santa Catarina e têm execução metodológica e gestão da Semente. Os programas tem objetivo de apoiar e aumentar a capacidade de sucesso de negócios liderados por mulheres, principalmente na superação dos impactos causados pela pandemia da Covid-19, por meio de uma educação empreendedora.

Jéssica Muniz: é sócia e Head de Operações da BossaBox é a primeira empresa a operar por squad-as-a-service no Brasil, e Jéssica se juntou à sociedade recentemente. Formada em Administração de Empresas pela FGV com passagem pela universidade HEC Paris, uma das mais importantes escolas de administração do país. Atualmente, a profissional ajudou a consolidar a estratégia de crescimento até chegar na liderança de operação. Com experiência nas áreas de consultoria, financeiro e indústria de consumo e serviços, Muniz espera apoiar o progresso da startup e aumentar o impacto que a BossaBox tem na experiência dos clientes. Além disso, o seu objetivo à frente da startup é também buscar ainda mais mulheres para o ramo da tecnologia, e do produto, especificamente.

Mônica Hauck: está liderando uma verdadeira revolução no mercado de RH. Em 2015, fundou a Sólides, empresa de tecnologia, líder no Brasil na gestão de recursos humanos de pequenas e médias empresas, que muda radicalmente a forma de gerir pessoas e os processos de RH. Sob sua liderança, a empresa recebeu o maior aporte já feito em uma HRTech, R$ 530 milhões da gestora de private equity Warburg Pincus. Menos de dois meses depois, a Sólides já foi às compras e anunciou a aquisição da Tangerino, startup de controle digital de pontos e jornada de trabalho, visando trazer para um único lugar tudo o que as PMEs precisam para gerir RH e DP.

Cristiane Giordano: está no comando da Funcional, como CEO, desde novembro do ano passado. Hoje seu maior desafio é manter o alto nível de entrega e qualidade em todos os produtos e serviços FHT, bem como traçar o futuro da empresa para que possam contribuir ainda mais para o ecossistema de saúde no Brasil. Nos últimos anos, esteve à frente da transformação e crescimento da farmacêutica Teva no Brasil. Além de sua experiência e cases de sucesso, Cristiane é reconhecida por defender os temas de diversidade e integridade dentro do ambiente de trabalho, e desde 2020 faz parte do grupo Pharma Executive Women, que reúne mulheres em cargos de liderança sênior da indústria farmacêutica, oferecendo mentoria para profissionais mulheres que estão começando em cargos de gestão. rviços FHT, bem como traçar o futuro da empresa para que possam contribuir ainda mais para o ecossistema de saúde no Brasil.

Gabriela Toribio: está à frente dos desafios da Wayra, hub de inovação aberta da Vivo no Brasil e da Telefónica no mundo, como managing director da companhia. A Wayra é um CVC (Corporate Venture Capital) que tem apoiado o desenvolvimento de negócios na área da inovação no mercado europeu e latino americano. Está presente em  9 países da América Latina, com 7 hubs: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Alemanha, México, Peru, Espanha e Reino Unido. A executiva é também empreendedora, fundadora da Alimentos da Vila, empresa cujo objetivo é expandir o acesso à alimentação saudável, e professora da Fiap, onde leciona sobre empreendedorismo. Já foi head de Venture Capital da Companhia Siderúrgica Nacional e na Wayra, à frente do Vivo Ventures, vai liderar o desenvolvimento do fundo que tem capital comprometido de R$ 320 milhões para investir em startups em estágio de crescimento nas áreas de entretenimento, casa inteligente, marketplace, saúde, finanças e educação, setores-chave para o posicionamento da Vivo como hub digital.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais