Construção civil: tendências e expectativas, segundo o CEO da OrçaFascio

De acordo com dados da Prospecta Analytica, a expectativa de crescimento da construção civil é de 4,5% este ano, devido a estabilidade do preço dos materiais e melhora da economia do país. Ainda de acordo com a pesquisa, as reformas de casas e construção de residências também devem avançar. Outro motivo de otimismo é a volta do programa de habitação popular do governo federal, Minha Casa Minha Vida. Todos esses fatores contribuem para a chegada de algumas novidades para impulsionar o mercado.

Para Antonio Fascio, CEO do Grupo OrçaFascio, o momento é bastante oportuno para o avanço de novas tecnologias para o setor e as principais tendências estarão focadas em BIM, integração de dados e projetos, industrialização, engenharia de custos e replanejamento em tempo real.

No Economia SP Drops, ele conta um pouco sobre as expectativas e tendências do setor para este ano. Confira abaixo:

Quais as expectativas para o setor em 2023?

Antonio: A mudança de governo irá chacoalhar bastante o setor, dadas as novidades voltadas aos programas de habitação. Não necessariamente ficará melhor ou pior do que está, mas sim que teremos transformações de mercado, o que ocasiona em novas tendências.

Qual a principal tendência tecnológica para o setor?

Antonio: Orçamentos e planejamento migrarão cada vez mais para BIM. O BIM é a metodologia da construção civil que mais cresceu em relevância nos últimos anos. Antes visto como uma aposta, já é uma realidade e se tornou lei no Brasil em 2021. Dessa maneira, todos os projetos criados para órgãos públicos, serão obrigados a inserir a metodologia BIM em seus projetos, visto a precisão, a segurança e a transparência de informações que ela oferece. Com BIM, é possível alcançar transparência com a troca de informação entre o projeto e o que acontece no canteiro de obras, sendo essencial para o andamento do projeto. Isso porque, a  real adoção do BIM 4D e 5D é o que dará a maior precisão entre planejado e realizado. Abraçar essa integração de dados desde a concepção do projeto muda completamente a eficiência de uma obra, pois dessa forma é possível ganhar previsibilidade em relação às atividades, os insumos necessários e a produtividade da mão de obra.

Como a integração de dados pode beneficiar o setor?

Antonio: A tecnologia em dados será essencial no setor da construção civil. Uma vez que integrar as informações do projeto, planejamento e canteiro fazem com que a obra seja mais objetiva e tenha maior precisão, independente dos detalhes. Além disso, é indiscutível o aumento de ganho de produtividade e exatidão de informações em relação ao planejamento vs realizado. Isso significa que a integração dos dados melhora todo o andamento da obra.

Como o planejamento pode ser aprimorado a partir do uso de tecnologia?

Antonio: Para ter um bom aproveitamento da obra a depender do seu tamanho, é necessário monitorar em tempo real o que está acontecendo na hora para que nenhuma falha aconteça, através do canteiro de obra, área fixa e temporária, onde se realizam as operações de apoio e execução de uma obra, e por isso, a importância da tecnologia em todos os processos possíveis.

Leia outras entrevistas do Economia SP Drops clicando aqui.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais