Siga nas redes sociais

Search
Foto: divulgação.

Construção do futuro: 3 valores do ESG por meio do steel frame

Por Aleh Bossan, CEO da Inovahouse.

A construção civil é um dos pilares do desenvolvimento de um país. Gera empregos, movimenta a economia e promove uma mudança estrutural. Há anos, de acordo com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CIBIC), o Produto Interno Bruto (PIB) da construção civil cresce: em 2021 foi 9,7%; 6,9% em 2022 e 1,5% em 2023 até julho.

Porém, apesar do crescimento, precisamos entender que o modelo de construção por alvenaria está se tornando decadente por vários motivos, por exemplo, encarecimento dos materiais de construção, como cimento e tijolos.

Além disso, a escassez de mão de obra qualificada eleva os custos trabalhistas, impactando orçamentos. Rigorosas regulamentações de construção e normas de segurança exigem investimentos adicionais.

Para mitigar esses e outros desafios, empresas têm buscado alternativas eficientes, como estruturas pré-fabricadas – o steel frame –, visando reduzir custos, acelerar a construção e adotar práticas sustentáveis, mas principalmente, alinhando-se aos princípios do ESG, como os três valores a seguir:

Eficiência energética

Ao incorporar isolamento térmico eficaz em construções com o steel frame, é possível criar ambientes internos mais confortáveis, reduzindo a dependência de sistemas de climatização. Esse isolamento desempenha um papel na regulação da temperatura interna, impactando diretamente a eficiência energética e a sustentabilidade do edifício.

Além disso, essa abordagem tem um impacto direto na pegada de carbono do edifício. A redução do consumo de energia relacionado à climatização contribui para a diminuição das emissões de carbono associadas à operação do edifício.

Sustentabilidade dos materiais

Ao utilizar steel frame na construção civil, é possível minimizar o desperdício de materiais durante o processo construtivo, graças à precisão desse modelo construtivo, que permite uma fabricação industrializada, produzida de acordo com as especificações do projeto. Isso contrasta com métodos construtivos tradicionais, nos quais os elementos muitas vezes são ajustados no local, resultando em desperdício de materiais.

Ao minimizar o desperdício durante a construção, não apenas os custos associados ao descarte de resíduos são reduzidos, mas também o impacto ambiental é mitigado. Menos material vai para aterros sanitários, contribuindo para práticas mais sustentáveis no setor da construção civil.

Eficiência operacional

A eficiência do steel frame no canteiro de obras está relacionada à facilidade de montagem e instalação. A estrutura de aço é leve, fácil de transportar e montar, o que agiliza o processo construtivo. Além disso, a precisão do modelo reduz a necessidade de retrabalho, diminuindo o tempo e os recursos necessários para a conclusão do projeto.

Ao encurtar o tempo de construção e, principalmente, entregar a obra no prazo estabelecido, o steel frame contribui para a redução dos custos associados à mão de obra e outros recursos. Menos tempo de construção impulsiona a eficiência operacional e reduz os riscos associados a atrasos, permitindo que os projetos sejam concluídos de maneira mais previsível.

Compartilhe o conteúdo

Leia também

Empresa divulga nova marca e quer dobrar faturamento

GrupoRV anuncia expansão para Portugal

Por que a DUIMP é um marco para as importadoras brasileiras? 

Receba notícias no seu e-mail