Siga nas redes sociais

Search

Ele deixou as quadras para fundar uma plataforma de gestão de despesas

Tognini
Foto: divulgação

Rodrigo Tognini é um exemplo vivo da transição entre paixões. Com uma trajetória que começou nas quadras de basquete, o ex-atleta com passagens pela seleção brasileira de base e pelo basquete universitário dos EUA agora lidera a Conta Simples.

A empresa está transformando a jornada financeira por meio da tecnologia, otimizando o tempo das pessoas.

A decisão de deixar o sonho de disputar o esporte profissionalmente não veio de imediato. Tudo começou quando Rodrigo ainda estava nos Estados Unidos, cursando Administração de Empresas, na Grand View University, e onde também havia ganhado uma bolsa acadêmica, para jogar pelo time de basquete da faculdade.

“Quando me dei conta, estava estudando histórias de empreendedores em uma sexta-feira à noite. Ali, percebi que havia um universo de aprendizados e inspirações que poderiam moldar não apenas minha carreira, mas minha própria visão de mundo. Foi nesse momento que entendi que o sucesso daqueles empreendedores dependiam de três coisas: ter um propósito maior que só dinheiro, ter gente boa junto na caminhada, e ser resiliente, não desistir no primeiro desafio”.

Após um ano nos Estados Unidos, decidiu abandonar o curso e voltar para o Brasil. A matrícula no curso de Administração do Insper foi feita dois meses depois deste retorno.

Início da empresa

A Conta Simples nasceu dessa determinação empreendedora de Rodrigo. Fundada em 2019, a empresa rapidamente conquistou reconhecimento, sendo selecionada para o programa da Y Combinator e recebendo investimentos significativos.

Hoje, a companhia tem 270 funcionários e atende mais de 30 mil empresas no Brasil, movimentando bilhões em transações mensais.

No entanto, o caminho até aqui não foi fácil. Nos primeiros anos, a captação de investimentos era um desafio constante. Foram mais de três meses e meio tentando fechar um aporte.

Apesar das dificuldades, Rodrigo destaca a resiliência como chave para o sucesso.

“Os anos de 2020 e 2021 ajudaram a educar muito sobre o que é montar um negócio. A capacidade de adaptação e a compreensão dos altos e baixos são essenciais para qualquer empreendedor. Todos os desafios que passamos foram fundamentais para criar uma base sólida de valores que temos no negócio até hoje”.
A visão em torno do propósito

Rodrigo tem uma visão pragmática sobre o propósito no empreendedorismo. Ele destaca que, embora muitos iniciem sua jornada em busca de prosperidade financeira, é ao longo do caminho que ampliam os seus olhares.

“Não acredito em quem fala que foi empreender só por conta de um propósito. A verdade é que boa parte das pessoas com quem conversei e que decidiram se arriscar construindo um negócio foram motivadas pela busca da prosperidade financeira e geração de riqueza. Foi ao longo de suas trajetórias que descobriram um propósito maior”.

Ao falar sobre sua própria jornada, o executivo revela que aprofundou as suas metas justamente ao liderar a Conta Simples. Como CEO, ele percebeu que precisava ser um “eterno aprendiz”, mentalidade que se tornou um combustível no mundo dos negócios.

Ele também destaca a contribuição de seus colegas empreendedores, Ricardo Gottschalk e Fernando Santos, cofundadores da Conta Simples. Juntos, eles fundaram a empresa com o objetivo de criar um impacto duradouro no cenário empresarial brasileiro.

“Eu brinco que a gente ter se encontrado na jornada e criado essa sociedade foi um alinhamento dos astros. Os três com a mesma vontade de fazer acontecer e se sacrificar, mesmo padrão e momento de vida, e com conhecimentos complementares”.
Planos para o futuro

Com uma visão ambiciosa, a Conta Simples já mira novos horizontes. A recente rodada de investimentos de R$ 200 milhões representa um marco significativo, levando a empresa para um novo patamar.

Rodrigo enfatiza a importância desse investimento para acelerar o crescimento da empresa e expandir sua oferta de produtos.

“O aporte foi realizado logo após conseguirmos nossa licença para operar como Sociedade de Crédito Direto (SCD), concedida pelo Banco Central. Ambos são essenciais para consolidarmos nossa posição no mercado e continuarmos oferecendo soluções inovadoras aos nossos clientes”.

Diante disso, o futuro para o CEO é claro: continuar liderando a Conta Simples em sua jornada de crescimento e inovação.

“No longo prazo, não me vejo fazendo algo além de empreender. Minha paixão realmente é este universo e espero poder ajudar a transformá-lo no Brasil”, finaliza.

Compartilhe

Leia também

Receba notícias no seu e-mail