Carreira com autenticidade: 4 dicas com Beatriz Guarezi, fundadora da Bits to Brands

Mais um dia normal: você pesquisa sobre algo que deseja fazer e vem uma enxurrada de dicas camufladas de “tem que”. Você tem que estar no Tik Tok para influenciar, tem que cumprir determinados hábitos, tem que saber seu propósito e ter uma carreira linear. No meio de tantos “tem que”, para onde vai parar o que você quer e acredita? 

O convite de hoje é que você se permita questionar sobre sucesso com autenticidade e, para fazer isso em boa companhia, compartilho com você a trajetória da Beatriz Guarezi:

Já ouviu falar que “o e-mail morreu”? A história da Beatriz Guarezi prova que não é bem assim. Ela criou a Bits to Brands, uma newsletter incrível sobre branding e inovação que, ao longo de 4 anos de qualidade e comprometimento, se tornou um negócio e tem conquistas inspiradoras: já são 174 edições, 18 mil assinantes, 6 dígitos de receita, presença em mídias relevantes e em eventos como RD Summit. Não para por aí: em breve, a Beatriz também será TEDx Speaker em Blumenau/SC.

  1. Diferenciar emprego e carreira pode abrir um mundo de possibilidades 

Por mais de 8 anos, ela esteve em empregos relacionados a branding, com vivência em empresa, consultoria e startup. A newsletter Bits to Brands foi um projeto paralelo, que ela iniciou como um hobby de carreira, e a tornou empreendedora:

“Eu brinco, em qualquer conversa que: sou a Beatriz, gerente de marca, gerente de comunicação. Onde você quiser me colocar: estarei ali com profissionalismo e com a maior dedicação. Mas eu também sou a Bits to Brands no meu tempo livre: estou ali com a minha base, meus assinantes, meu conteúdo. O máximo que eu puder aportar de valor de uma coisa pra outra, eu sempre vou fazer questão de fazer. Mas deixo claro que sou uma profissional de vida dupla.” 

Percebe a diferença? O emprego é sua principal fonte de renda, de contatos, de experiências profissionais. Tende a ser o ambiente em que você mais se preparou técnica e emocionalmente para estar, e também, o ambiente em que menos se pode errar, já que a recompensa é baseada em performance.

Carreira é a trajetória profissional que você está construindo: ela pode ser a soma de diversos empregos. E também comporta outras iniciativas que você se propõe a fazer para se experimentar, abrindo portas para se arriscar a errar em um ambiente seguro: trabalhos freelancers, criação de conteúdo, voluntariados, intercâmbios e demais hobbies que façam sentido para você.  

“O fato da Bits to Brands ser um projeto paralelo à minha carreira, me dava a segurança de que eu não estava fazendo aquilo por dinheiro. Desde o início do projeto, nunca fui obrigada a nada, nunca me forcei a nada. Isso foi muito parte da autenticidade que os assinantes percebem do outro lado: escrevo a newsletter que eu gostaria que existisse, dou as aulas que eu gostaria de ter tido, faço a palestra que eu gostaria de assistir – em todos os lugares, em todos os ambientes.”

  1. Ouvir seus incômodos pode dar pistas sobre o que importa para você 

Existe uma cobrança de “como assim você não sabe onde se vê daqui a 5 anos?” e pouca gente conta que na verdade, gostos e habilidades são descobertos na prática, experimentando hobbies e projetos para expandir suas possibilidades no que é importante para você. 

Para escolher no que se experimentar, Beatriz considerou um incômodo que ela sentia: 

“Na tecnologia, todo mundo queria uma máquina de conteúdo e de atração de leads. E, quando eu olhava pro mercado de branding, via muito essa coisa ‘mais clássica’ mas  a gente ainda não estava olhando para pequenas startups e novas tecnologias.

A Bits to Brands veio de um lugar genuíno de querer trazer um conteúdo sobre sobre tecnologia, sobre inovação, contextualizado para nossa realidade: nossos memes,  nossos influenciadores, nossos ícones. 

Eu, como profissional, estava cansada de consumir conteúdo sobre comunicação ou sobre inovação só com exemplos de fora. Pra mim é isso: a gente vai falar de Alexa e Wesley Safadão; de influenciadores e de Casimiro; de comunicação e da Joelma com Elma Chips; de Anitta com Magalu: o que está na nossa televisão.”

Para ajudar no seu processo de escolha, Beatriz compartilhou perguntas para você refletir: 

  • O que você faz com facilidade, de forma mais natural possível? 
  • Quais conteúdos você gosta de consumir e em quais formatos?
  • O que você gosta a ponto de compartilhar com outras pessoas com qualidade e consistência? 
  • Qual formato você fica mais confortável em utilizar? 
  1. Você não precisa ter planos, certezas e dinheiro para começar a se conhecer em um novo hobby

Use histórias de sucesso com moderação: é muito comum que elas sejam contadas de um jeito linear – para chegar lá, você “só” precisa saber o que quer, ter um bom planejamento e muita determinação. 

Sabendo que, na prática, a vida real sempre tem reviravoltas, a Beatriz teve o cuidado de compartilhar os bastidores do início da Bits to Brands: 

“Me coloquei nesse projeto muito naturalmente. Não foi um planejamento, ou a ideia de ‘vou me tornar uma profissional que inova na carreira’. A Bits to Brands surgiu desse lugar muito genuíno de: eu gosto de branding, gosto de inovação. Quero seguir compartilhando isso que eu sei, me desenvolvendo nesses dois universos e preciso começar de algum lugar.”

Esse começo foi a newsletter, escolhida porque a escrita era um formato mais confortável para ela. Além disso, o e-mail não demandava estrutura visual, de luz e de preparativos que a produção em vídeo requer, o que era bem-vindo naquele contexto em que, após chegar do trabalho, Beatriz ainda teria um segundo expediente se dedicando para a Bits to Brands

O começo foi da forma mais simples e barata possível: a ferramenta de disparo da newsletter era gratuita, assim como a plataforma que gerou a primeira versão da logo da Bits to Brands. E o nome da marca surgiu com post-its e discussões com amigos da Beatriz:

“Lá na edição quinze, na edição vinte, na edição trinta, eu não podia imaginar o que ia acontecer com a minha vida, com a minha carreira. Não imaginava que eu iria participar de um TEDx, que seria amiga de outros criadores de conteúdo que eu admiro, que escreveria artigo para Exame: se eu contasse isso pra Beatriz de quatro anos atrás, que tava lá à noite escrevendo e-mail pra cento e pouquinhas pessoas, ela não ia acreditar”.

  1. Interesse, dedicação e consistência são um investimento para sua vida

Ao se experimentar em um hobby, você conhecerá na prática habilidades e universos que nem imaginava conhecer. Caso descubra que não gosta daquela atividade: ótimo, essa é uma descoberta que você não tinha. 

Caso se identifique muito com essa atividade: parabéns, você está um passo adiante na jornada da autenticidade. No caso da Beatriz, esse caminho rendeu conquistas inspiradoras. Ainda assim, ela alerta que fama e dinheiro nunca foram motivações porque elas são muito frágeis e não seriam suficientes para ajudá-la a persistir:

“Foi sobre consistência, interesse genuíno e um orgulho mesmo do que eu entrego para as pessoas. Cara, toda semana você tá ali, toda semana um pouquinho, toda semana um pouquinho. São cento e setenta semanas, são cento e setenta vezes que eu fiz a mesma coisa. É impossível você fazer a mesma coisa com alto nível de interesse, com alto nível de dedicação repetidas vezes e você não tirar nada daquilo.”

  1. Bônus: se dedique com qualidade e profundidade nesse interesse

Para se aprimorar constantemente no que você se interessa, Beatriz recomenda que você mescle a teoria e metodologias clássicas com aplicações mais contemporâneas: 

“Não dá para estudar só pelo Instagram, por favor, não faça isso. Fique sempre de olho nas pessoas especializadas, as pessoas que estudaram, que escreveram livros, que criaram métodos sobre as coisas. E também no TikTok, tá no Twitter, tá no Instagram, olhando esses jeitos mais modernos de aplicar tudo isso, só nunca perca o outro lado de vista.”

E aqui ficam compartilhadas dicas especiais da Beatriz para você se aprofundar em:

  • Marketing: Seth Godin
  • Branding: David Aaker. O livro dele é dos anos 90 e existe um motivo para ser lido até hoje. Que tal vir descobrir? 
  • Inovação e tendências sob a ótica de marca e comunicação: Scott Galloway
  • Vulnerabilidade e relações humanas: Brené Brown e Adam Grant
  • Biblioteca do TED: plataforma de conteúdos incríveis com os mais diversos temas e especialistas.

Agradeço você por chegar até aqui. Eu Grazi e Beatriz ficamos na torcida para que essa trajetória inspire você a criar uma carreira que desafie os “tem que” que ouvimos por aí. Que você alcance muitas conquistas ao se desenvolver com autenticidade e com interesses genuínos. 

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais